setembro 22, 2010

Diálogo de Loucura II


É impressionante como ultimamente venho sendo vítima de chacota de uma piveta (se ela me ouvir falando isso...) sendo chamado justamente de – LOUCO.
Pode uma ela estar fazendo uma coisa dessas? Morro de rir, mas é verdade. Contudo, sabe o que é pior? Eu estou dando cabimento a ela. Nunca, em toda a minha pequena e humilde vida, fui julgado como louco no sentido literal. Isso é bom, muito bom.
Faz muito tempo que não fico instigado a discutir assuntos que pra ela não tem a menor importância, mesmo assim, é bom. Ela me ouve como se apresentássemos em um vácuo onde só é possível ouvir minha voz. Atenção, essa é a palavra que devemos ter com os outros.
Tenho o costume de jogar palavras e ensinamentos ao léu na intenção de que alguém faça proveito na sua vida, utilizando como ensinamento, meio de maturidade, ou para promover o bem, espalhando, também, seus outros ensinamentos. Está ficando meio complexo, não?
Entretanto, gosto de lembrar que o bem do próximo pode levar ao seu bem também, pois, de acordo com Jean-Paul Sartre “o inferno são os outros”, mas, renegando ao máximo esse inferno, podemos nos superar.
E agora, piveta? Concluiu que sou doido de pedra? Que bom...

3 comentários:

  1. eu só disse a verdade.. tu é louco mesmo kkkkkkkkk
    e eu não sou piveta ¬¬

    ResponderExcluir
  2. eu entendi tudo, você é bem aluno do Pybore mesmo, parabéns ótimo blog, mas eu sou meia suspeita de falar já que sou sua admiradora secreta. Não sou a piveta ok?

    ResponderExcluir
  3. oook... entao, quem tu és??
    ME fala!!!

    ResponderExcluir